O Dia Internacional da Não-Violência é comemorado anualmente em 2 de outubro.

Esta data, criada em homenagem ao pacifista Mahatma Gandhi, tem o propósito de incentivar a educação pela paz, respeitando sempre os direitos humanos.

A violência está presente em todas as camadas sociais, destruindo as comunidades, provocando mortes e inúmeros prejuízos para a humanidade.

A ideia é conscientizar a população sobre a possibilidade da resolução de questões e embates com a não-violência, seguindo um caminho de paz e respeito entre as pessoas, mesmo que estas tenham ideias diferentes.

Saiba mais também sobre o Dia Internacional da Não-Violência Contra as Mulheres.

Origem do Dia Internacional da Não-Violência

Esta data foi criada pela ONU (Organização das Nações Unidas), em homenagem a figura de Mahatma Gandhi, um dos principais representantes na luta pelo pacifismo e no respeito dos direitos humanos e da justiça.

Gandhi foi assassinado em 30 de janeiro de 1948, por consequência da sua tentativa de unificar pacificamente os povos hindus com os muçulmanos.

A luta de Gandhi tinha como base quatro principais pensamentos: o amor, a verdade, a não-violência e a não-cooperação.

As reivindicações propostas pelo movimento de pacificação tinham como filosofia o combate da violência com amor, seja por meio de diálogos, petições, manifestações públicas, marchas e etc.

Gandhi nasceu em 2 de outubro de 1869, sendo a escolha desta data como o Dia Internacional da Não-Violência.

Tema 2017: juntos pela paz: respeito, segurança e dignidade para todos

Mensagem de Irina Bokova, Diretora Geral da UNESCO Este Dia Internacional da Paz celebra o poder da solidariedade global para a construção de um mundo pacífico e sustentável.

10º Aniversário da Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas Este ano, celebramos o 10º aniversário da histórica Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. Esta é uma oportunidade para honrar os direitos dos povos indígenas e sua contribuição exclusiva para a compreensão mútua, a paz e o desenvolvimento sustentável. Os povos indígenas são guardiões e praticantes de culturas e relacionamentos únicos com o ambiente natural. Eles incorporam uma ampla gama de diversidade linguística e cultural no coração da nossa humanidade compartilhada. Proteger seus direitos e dignidade é proteger os direitos de todos e respeitar a alma, o passado e o futuro da humanidade. A proteção e o bem-estar dos povos indígenas nunca foram tão importantes. Apesar de sua diversidade cultural e suas terras em 90 países, eles compartilham desafios comuns relacionados à proteção de seus direitos como povos distintos. 370 milhões de povos indígenas representam menos de 5% da população mundial, mas representam 15% dos mais pobres. Nesse espírito, o último Relatório de Monitoramento da Educação Global da UNESCO oferece orientação concreta e política para o avanço dos direitos dos povos indígenas “. A UNESCO lançou o programa de Sistemas de Conhecimento Indígena e Local em 2002 para apoiar os governos na criação de sinergias entre o conhecimento científico e indígena. Isto foi promovido através de um resumo de política sobre”Conhecimento (s) indígena de local e ciência (s) para desenvolvimento sustentável”, emitido pelo Conselho Consultivo Científico (SAB) do Secretário-Geral das Nações Unidas. Tudo isso inspira o trabalho em curso da UNESCO para desenvolver uma Política de Envolvimento com os Povos Indígenas para garantir uma implementação mais forte da Declaração da ONU. Isso não só será benéfico para os povos indígenas, mas para toda a humanidade e nosso planeta. Junte-se aos nossos esforços e compartilhe esta mensagem – #weareindigenous! Mensagem de Irina Bokova, Diretora Geral da UNESCO Por ocasião do Dia Internacional dos Povos Indígenas do Mundo 2017   Fonte? http://www.unesco.org/new/en/unesco/events/prizes-and-celebrations/celebrations/international-days/international-day-of-the-worlds-indigenous-peoples-2017/
Origem

Durante o século XXI, foram criadas várias iniciativas para a celebração de um Dia da Amizade em distintas partes do Mundo. Nos Estados Unidos e em partes da Ásia divulgou-se o primeiro domingo de agosto como o dia de entrega de cartões e presentes entre amigos, e celebrações similares se formaram em distintos países da América do Sul e Europa em diferentes datas.

A iniciativa para o estabelecimento de um Dia do Amigo reconhecido internacionalmente teve como antecedente histórico a Cruzada Mundial da Amizade, que foi uma campanha em favor da valorização e realce da amizade entre os seres humanos, de forma a fomentar a cultura da paz. Foi idealizada pelo médico Ramón Artemio Bracho em Puerto Pinasco, Paraguai em 1958. A partir desta ideia, se fixou o 30 de julho como Dia da Amizade.

Na Argentina, a data foi criada pelo médico argentino Enrique Ernesto Febbraro. Com a chegada do homem à lua, em 20 de julho de 1969, ele enviou cerca de quatro mil cartas para diversos países e idiomas com o intuito de instituir o Dia do Amigo. Febbraro considerava a chegada do homem a lua “um feito que demonstra que se o homem se unir com seus semelhantes, não há objetivos impossíveis”.

Resolução das Nações Unidas

Em 27 de abril de 2011, durante o sexagésima quinta sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, dentro do tratamento da “Cultura de paz”, se reconheceu “a pertinência e a importância da amizade como sentimento nobre e valioso na vida dos seres humanos de todo o mundo” e decidiu-se designar como Dia Internacional da Amizade o 30 de julho, em concordância com a proposta original promovida pela Cruzada Mundial da Amizade.[1] A iniciativa foi apresentada conjuntamente por 43 países (incluindo o Brasil e quase todos os países sul-americanos), e foi aceita unanimemente pela Assembleia Geral.

Fonte: Wikipédia

O 3º ano realizou no 1º período um projeto maravilhoso que foi: “Um espaço para ser humano.” Que os fez refletir que espaço seria esse e o que fazer para modificá-lo. Portanto, as turmas 131 e 132 trabalharam com a 3ª idade e acolheram o asilo – Casa de saúde de Jacarepaguá.

No dia 21/06 foi dia de receber representantes que ajudam e recolhem as doações. As crianças ficaram super felizes e satisfeitas em ajudar o próximo!!!

 

O Dia Mundial do Refugiado está marcado no calendário a 20 de junho.

Nesta data presta-se homenagem à resistência e à força de todos os refugiados do mundo que foram obrigados a fugir de suas casas por motivos de perseguição, calamidades ou de guerra. Neste dia as celebridades gravam vídeos de apoio a refugiados, os refugiados são convidados a contar as suas histórias, entre outras atividades que se realizam por todo o mundo.

  Leia mais!

8 de junho Dia Mundial dos Oceanos

Conferência dos Oceanos De 5 a 9 de junho em Nova York

Tema “Nossos Oceanos, Nosso Futuro: Parcerias para a Implementação do ODS 14”.

A meta trata da conservação de mares e oceanos e do gerenciamento de recursos marinhos.

Um dos desafios à conservação de mares e oceanos são os altos níveis de poluição marinha.

Há um conjunto de problemas que deterioram a qualidade dos oceanos com implicações na biodiversidade e na sustentabilidade, precisamente no que diz respeito à manutenção quer da alimentação, quer das atividades econômicas relacionadas.

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. Dados da OMS apontam que um terço da população mundial adulta é fumante. O total de mortes por causa do tabaco atingiu 4,9 milhões de pessoas por ano, o que corresponde a mais de 10 mil mortes por dia. Se a tendência de expansão do consumo de cigarros for mantida, esses números aumentarão para 10 milhões de mortes anuais por volta de 2030, sendo metade delas em indivíduos em idade produtiva (entre 35 e 69 anos). Clique na seta para ler mais!

No dia 15 de maio, comemora-se o Dia Internacional das Famílias ou, simplesmente, o Dia Internacional da Família. Esse dia foi definido em 20 de setembro de 1993, em deliberação da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Desde então, no dia 15 de maio sempre há, em várias partes do mundo, conferências e celebrações para discutir e traçar projetos para o futuro da instituição familiar. Sabe-se que a família, do ponto de vista histórico e também sociológico, é o núcleo elementar da sociedade, isto é, uma instituição basilar. A família funciona como o primeiro grupo de relações no qual os indivíduos interagem entre si. Foi a partir do núcleo familiar que a sociedade como um todo ganhou corpo ao longo da história humana. Contudo, a decisão da ONU, enquanto organização internacional, de escolher um dia para homenagear a família está relacionada com os problemas e transformações que essa “célula social” vem apresentando desde o século XX.  

Leia Mais.